quinta-feira, 29 de março de 2012

Sen[ti]r

Porque se sofres, também sofro
Se estás alegre, dividimos sorrisos
Se tens questionamentos e dúvidas
Lamentos e palavras soltas
Sou toda ouvidos
Porque desde que tornastes metade de mim
Sinto todos os teus sintomas... 



Xô!

Porque ela pensou consigo mesma e seus botões, no quanto tem sido difícil e doloroso, expurgar a menina de dentro dela...


quinta-feira, 22 de março de 2012

Camuflar? Não, obrigada...

Você tenta disfarçar, procura forças pra esboçar um sorriso, mas tudo em vão. É inútil tentar esconder o que está tirando sua paz, roubando sua alegria. Pessoas que são possuidoras do que chamamos 'transparência' não sabem se camuflar como camaleão ou por trás de maquiagens de palhaço, elas simplesmente são... São e demonstram estampado no rosto e atitudes àquilo que se passa em seu interior.


quarta-feira, 21 de março de 2012

Ao Bibi

Hoje é o dia Internacional da Síndrome de Down. Não, esses dias 'especiais' não existem para comemorarmos uma doença, mas para nos lembrar que precisamos deixar nosso preconceito de lado e amar as pessoas como elas realmente são.
Resolvi escrever hoje em homenagem a alguém que jamais esquecerei e que tem lugar guardado no meu coração e doces lembranças.
Jonas Lazarim, a quem carinhosamente chamo de Bibi, entrou em minha vida em 2003 quando fui para JOCUM - Recife fazer ETED (Escola de Treinamento, Evangelismo e Discipulado) à época ele tinha apenas 11 anos. Filho de Tio Jr. e Tia Rita, casal que juntamente com as irmãs mais velhas dele, Roberta e Débora, me adotaram como sendo da família no tempo em que vivi ali.
Vez ou outra conto em risos, histórias protagonizadas por ele, como no dia em que ele me 'convidou' para 'fumar' lápis de giz de cera! Ou como entrou dentro de uma Kombi e invadiu mata a dentro porque o carro não estava com o freio de mão levantado, ou como invadia o quarto dos meninos e pegava o violão pra 'tocar' deixando o dono maluco ou como adorava dar susto na gente!
Também era emocionante ver sua paixão por instrumentos, principalmente bateria, mas eu ficava com o coração na mão, pois Jonas é surdo, e eu sabia que possivelmente se ele escutasse seria um exímio baterista. Mas além da paixão pela música que nunca ouvira, ele sabia de cor todas as pantomimas que fazíamos, todos os personagens! Era incrível como ele conseguia lembrar de todos os pequenos detalhes!
O tempo passou e Jonas cresceu, hoje é um rapaz de 20 anos, mas mantêm dentro de si aquela chama de menino travesso e amoroso.
Faz anos que não o vejo, mas mantenho contato com a família Lazarim por meios das Redes Sociais e vez ou outra me deparo e me emociono com as proezas do Bibi, como esse vídeo ai embaixo que me deixou às lágrimas quando o assisti...
Viva o Bibi, viva a todos os outros que tentam e superam aquilo que consideramos 'especial', mas que na verdade de 'especial' não têm nada, o tal de 'especial' são eles participarem da nossa história...






domingo, 18 de março de 2012

Atalhos

Atalhos nos dão a falsa impressão de que chegaremos mais rápido ao destino final do caminho, mas na verdade se somarmos todos os atalhos percorridos talvez eles sejam maior do que o caminho a ser trilhado...





quarta-feira, 14 de março de 2012

Um Caleidoscópio de presente!

Meu querido amigo de infância Brunno Soares, a quem chamo carinhosamente de Brunneco, deu-me de presente de aniversário (11.03) estes versos que se seguem e que de tão emocionada não canso de ler... Rsrs... Sinceramente gosto de presentes assim mais do que os 'físicos'/ materiais, pois são estes que me fazem sentir especial... muiiito obrigada amigo, quero ter sua amizade até a velhice...Rsrs







Antever o que se passa é
brincar com a intuição,
mostrar para ela quem é que manda
e que não aceita um roteiro de
vida pronto.

Atrever a olhar a mudança
como uma forma de trazer
para mais perto aqueles que
sempre estiverem ao alcance
dos olhos.

A temer o que não se espera
é parte do enredo improvisado
que te fez bem mais que 
quatro personagens;
fez de ti mulher inteira!

Até ver o que em parte vemos
e ao findar da hora estar
vestida num trançado de
flores, correndo num
campo de rosas
e os pulmões cheios de ar,
cantando a vida
e a Eterna beleza!

By Brunno Soares




sexta-feira, 2 de março de 2012

Auto-Imagem





Foi difícil encarar aquele espelho. A imagem que aparecia diante de mim era distorcida e feia, e tudo era culpa de duas palavras: egoísmo e individualismo.
Essa mania de posse que eu tenho, esse medo de perder quem amo, essa insegurança que sinto, foram todos colocados diante de mim naquele reflexo. 
Não gostei do que vi, não gostei do que senti, na verdade foi constrangedor e doloroso ver aquela auto-imagem, foi insuportável reconhecer que o espelho estava certo. 
Agora que a verdade tinha vindo à tona, que a realidade mostrava sua cara feia, cai no choro e admiti: fui hipócrita.
É fácil escrever palavras, difícil é quando você esbarra na prática e percebe que contradiz a teoria.
Resta-me agora encontrar forças para olhar novamente no espelho, buscando maneiras de me consertar por inteiro, até aquela terrível imagem se dissolver...